3

Cervejas artesanais, food trucks e muita música boa na Rota da Cerveja

Nos dias 01 e 02 de setembro foi realizada a quinta edição do Festival Rota da Cerveja, evento pioneiro do segmento na região, que desde 2014 reúne fabricantes de cervejas artesanais, beer trucks e food trucks, aliado a uma programação musical intensa. A entrada é gratuita.

No primeiro dia do evento, o jazz, o soul e a black music deu o tom do evento. Entre as atrações, a cantora inglesa Folakemi levou um repertório de clássicos com sua voz que remete às divas do soul e do jazz. Em seguida, o cantor Dom Paulinho Lima, que ganhou destaque no programa The Voice Brasil, apresentou o melhor da black music nacional e internacional. A noite terminou com a banda Cassius Clay, com seu groove e a mistura criativa de rock com o funk americano.

 

O The Voice Don Paulinho Lima na Rota da Cerveja
O The Voice Don Paulinho Lima na Rota da Cerveja

Já o segundo dia do festival foi dedicado ao rock n´roll. A banda regional Casa 30 abriu a programação, ainda na parte da tarde, com o pop rock nacional e internacional. Em seguida, a carioca Silent, que nos ano 90 ficou em evidência com três músicas tema em novelas e clipe na MTV, retornou com tudo aos palcos, pela primeira vez na região, depois de um intervalo de 15 anos na carreira.  Em seguida um show em homenagem ao Deep Purple aqueceu de vez o lugar. E por fim o The Black Bullets, que ganhou notoriedade pelos seus tributos ao Pink Floyd e Led Zeppelin e conquistou diversos prêmios de música, faz um apresentação especial de comemoração dos 10 anos da banda.

 

Somado a isso, mais de 50 diferentes rótulos de cerveja artesanal, dos mais variados estilos e de várias cidades, distribuídos em chopeiras dos cervejeiros produtores e em beer trucks, dividiram o espaço com a gastronomia criativa dos food trucks. O público compareceu em peso e lotou o evento nos dois dias.

O festival foi realizado no Casarão e marcou um divisor de águas na história recente da mais imponente construção do Centro Histórico de Ipiabas, contruído nos anos 1860 pelo Comendador Antônio Gonçalves de Moraes. Isto porque, após anos em comodato para a Prefeitura e sem ser utilizado, a partir do evento o imóvel secular será transformado em um Centro Comercial, Gastronômico e Cultural, por iniciativa de empresários locais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *